quinta-feira, 3 de março de 2011

O NYLON E A MEIA CALÇA, oa primeiros a usarem os homens ao corpo valorizavam seus dotes fisicos, os toureiros utilizam tb pelo mesmo motivo....






Como vocês devem ter notado, a guerra tem seu jeito de devorar recursos.

E já é muito ruim quando você não pode ter algodão pros seus curativos, mas torna-se um verdadeiro inferno quando não consegue alguma seda para fazer sua meia-calça.

Foi exatamente o que aconteceu com as mulheres americanas quando os japoneses decidiram que os EUA não estavam do lado certo na Segunda Guerra Mundial.

Lembre-se que era a década de 1940, as mulheres usavam vestidos o tempo todo, mas querias suas pernas cobertas.

Especificamente, cobertas com seda.
Então, quando o Japão cortou o fornecimento de seda para o Ocidente, as mulheres americanas enlouqueceram.

Mulheres gastavam dinheiro para comprar as últimas meias-calças de seda numa época em que tinham que plantar seus alimentos no quintal e entregar a gordura dos fogões para os esforços de guerra.

Essa era a importância da seda.
Prevendo o rompimento de relações com os japoneses, em 1935 a DuPont contratou os mais brilhantes químicos da época para trabalharem com polímeros sintéticos que pudessem substituir a seda.

Assim, surgiu o nylon.
O nylon era mais resistente do que a seda, e ótimo para cobrir as pernas nuas.

O problema era que os esforços de guerra precisavam de todo o nylon que os EUA pudessem produzir, a fim de confeccionar pára-quedas, pneus, coletes à prova de balas.

Assim, as mulheres tiveram suas meias de nylon por cerca de duas semanas.
Ao final da guerra, três companhias diferentes estavam produzindo versões do nylon, melhorando o original até que pudessem mistur-alo com algodão a fim de criar camisas fáceis de lavar e que não amassam.

E mais importante, lançando a moda das sensuais meias-calças.

Fonte: O Pequeno Blog dos Horrores
www.gritodaweb.com.br



O nylon e a meia calça


O Nylon é uma poliamida (polímero pertencente à função amida), obtida através da condensação do ácido adípido com a hexametilenodiamina. Apresenta alta resistência e é facilmente moldável. Tem larga aplicação na confecção de fibras têxteis, engrenagens, pulseiras de relógio, garrafas e linhas de pesca.Mas, como surgiu o nylon? E qual sua relação com a meia calça?


Impulsionado pela vontade de criar um composto que reproduzisse as qualidades da seda o químico norte-americano Wallace Hume Carothers, passou quase uma década esquentando os neurônios em seu laboratório.Em outubro de 1938, há quase 70 anos, aparecia o resultado: o NyLON, plástico de versatilidade prodigiosa, que inaugurava a era dos polímeros sintéticos.
Verdadeiro ícone da modernidade na virada 30/40, o náilon provocou uma revolução polvorosa no mercado norte-americano, em especial entre as consumidoras de meias de seda.

No início do século XX as meias eram grossas e escuras, porém os vestidos eram compridos. Nos anos 20, as saias subiram e as pernas se tornaram o foco da atenção. Com isso, as meias passaram a ter maior importância e começaram a ser aperfeiçoadas. Elas deveriam valorizar as pernas femininas, embelezando e escondendo eventuais falhas. Porém, as meias de seda, eram muito caras e poucos duráveis, além da sua falta de elasticidade. Esses problemas foram resolvidos com o surgimento do nylon. Com o nylon, as meias passaram a ser elásticas, mais resistentes e puderam ser fabricadas em grandes quantidades, diminuindo o preço. O sucesso foi comprovado no lançamento das meias finas de nylon, em 15 de maio de 1.940, data em que quatro milhões de dessas meias foram vendidas nos Estados Unidos.
O triunfo da nova invenção resultou numa fabricação de nylon maior que a de aço.
Na década de 50, surgiram as meias-calças de nylon. A fibra tornou-as mais fáceis de usar e ainda mais populares.Durante os anos 60 e 70, as meias calças, predominaram na moda feminina. Elas eram confeccionadas com fibras sintéticas, textura leve e macia, coloridas e podiam modelar e proteger as pernas ao mesmo tempo.
As décadas de 80 e 90 viveram o auge da tecnologia na produção das meias, cujo processo atual é automatizado. As últimas mudanças estão ligadas aos novos materiais, aos diversos níveis de transparência, cores, textura e tramas, e ao uso de enfeites, como bordados e pedras.Além disso, a indústria das meias está produzindo modelos indicados também para outros fins, como para amenizar a barriguinha, aumentar ou modelar o bumbum, prevenir varizes e ajudar a combater a celulite.
Tudo isso graças ao poderoso nylon. Que além do uso têxtil, está presente em um número enorme de produtos: peças automotivas, componentes para aviação, revestimentos anticorrosivos, e muitos outros.


História da meia calça, os primeiros a usarem foram os homens



Há registros de seu uso já na Mesopotâmia, de aproximadamente 2.200 anos atrás.

Nessa época, porém, seu uso era restrito aos soldados, que a utilizavam para afastar o frio no inverno.

O material de que eram feitas também era muito diferente dos atuais. Confeccionadas em ou algodão, tinham uma costura na parte de trás, o que também facilitava a montaria dos soldados.
No século XIV, a meia-calça passou a ser utilizada por nobres, que competiam entre si pela riqueza dos materiais utilizados nas peças, então ricamente bordadas.

No reinado de Catarina da Rússia, os homens utilizavam as meias-calças como artefatos de sedução, pois as malhas coladas ao corpo valorizavam seus dotes físicos.
A tecelagem era uma arte no século XV.

As meias-calças tiveram grande importância nos reinos que viriam a formar a Espanha, cuja moda ditava o tom na Europa entre 1550 e 1650. A moda masculina tinha necessidade de criar meias que não enrugassem nas pernas, pois os homens espanhois mostravam essa parte do corpo com o uso de calças que cobriam somente as coxas.

A fama dos grandes tecelões espanhois logo ultrapassou as fronteiras.

Os nobres tinham uma média de oito pares - sinal de muito luxo - e os reis eram presenteados com meias de seda espanholas.
Por volta de 1780, os materiais se tornaram mais finos, sendo então a meia-calça assumida como acessório tipicamente feminino, caindo em franco desuso entre os homens.

A versão mais difundida entre as mulheres era em 7/8, presa por fitas ou rendas às coxas.
A primeira máquina de fazer meias foi inventada por um inglês chamado Willian Lee, que não enriqueceu nem tampouco ficou famoso por isso.

A França também iniciou a tecelagem mecânica de meias e Paris tornou célebre as meias de seda com as dançarinas do Can-can, que usavam meias de rede preta, consideradas então um escândalo.
Até o início do século XX, as meias eram grossas e tinham cores escuras.

A partir do momento em que passaram a ser confeccionadas em fios de nylon, houve uma verdadeira revolução no comportamento social.

As mulheres se sentiam mais sensuais, e queriam que suas meias aparecessem até mesmo em saias compridas.

Após as grandes guerras, com o aprimoramento das tecnologias empregadas na fabricação, o produto tornou-se mais acessível (já que até então era extremamente caro).

Nos anos 70, com o surgimento da minissaia, foram introduzidas fibras sintéticas, com colorido vibrante e que modelavam e protegiam as pernas.


2 comentários:

  1. Uuaau amei saber tudo isso, nem imaginava tanta história por trás da meia calça de nylon. Adorei.
    Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Espetacular a sua pesquisa! Que esmero, Gil! Você foi até a Mesopotâmia. Adorei e obrigada por tanto conhecimento colocado aqui! Bjbj!

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails